Saiba como se
fazem os objectos
de ourivesaria, do
mais puro
artesanato à alta
tecnologia.
Um dos aspectos que consideramos fundamental nas artes decorativas é a imagem. Se no jornalismo a máxima de que uma boa imagem vale por
mil palavras, na arte então vale por um milhão. Acontece que os direitos de autor cobrados pelas imagens, principalmente pelas peças que estão
em museus, estão a inviabilizar ao surgimento de novos e melhores livros sobre arte, e se formos aos sites dos museus, com maior incidência no
caso português, vemos que as poucas imagens fornecidas são de muito baixa qualidade, não há fotos de pormenores e ninguém sabe o que está
nas reservas. Pode ser uma forma de só quem trabalha a nível directivo nos museus poder editar livros, mas não foi certamente com esse objectivo
que muitos dos colecionadores doaram as suas obras, sendo que a maioria das outras foram adquiridas com o
nosso dinheiro.
Resta assim a consulta aos sites das leiloeiras, bem como de muitos antiquários, como forma de estudar e comparar peças. Só que a recolha de
fotos está cada vez mais dificultada e exige um esforço de  tempo e paciência enormes.  Esse esforço tem feito com que este site esteja bastante
desactualizado, mas a médio prazo os resultados de todo este trabalho virão a público, até lá as novidades virão de forma irregular e em menor
quantidade do que desejamos, mas não estamos inactivos, bem pelo contrário.

Henrique Braga & Sofia Ruival
Bookmark and Share




OURIVESARIA
PORTUGUESA
WWW.OURIVESARIAPORTUGUESA.INFO
Um esqueleto em leilão...
e outro que sai de um armário
do Louvre...
Faça click na foto e descubra o que muito
um esqueleto tem para contar...
Glossário dos Termos Técnicos
relacionados com a Ourivesaria
Continuação das notícias
Index 1
Neste mês de Outubro de 2013, a Christie's deixou de disponibilizar para download os seus
catálogos em formato PDF. Os mesmos só podem agora ser vistos online, mantendo-se a opção
de os poder imprimir. O mais irónico é que os mesmos continuam alojados nos seus servidores, só
que deixou de haver a interface que possibilitava o seu download.
Parece-nos uma medida em sentido contrário do que é a tendência geral deste século XXI,
abandonar o "papel" e enveredar cada vez mais pelo formato digital, é para isso que cada vez
existem mais dispositivos móveis para consubstanciar esta nova realidade. Basta ver que cada vez
os ecrãns dos telemóveis são maiores, e as smart TV, com os seus formatos full HD ou mesmo
ultra HD, permitem uma experiência única no visionamento de objetos de arte. Os dois catálogos
que aqui anunciamos são a prova da excelência aplicada pela Christie's na sua feitura. O das jóias
apresenta parte da coleção que foi de D. Vera Espírito Santo, e isso é só o inicio, o segundo não
precisa de comentários, são 50 dos melhores Rolex Daytona até hoje produzidos...!         
Basta clicar em cada um deles para constatarem essa excelência. Num exclusivo deste vosso site.
Tendo como co-fundadores Lucie-Éléonore Riveron - ex-Piasa - e Cédric Melado -
ex Tajan - esta nova leiloeira parisiense abriu portas sobre o lema "libérer les
enchères", abrindo um debate do que pode e deve ser mudado no universo dos
leilões de arte, não ficando pelas palavras mas dando corpo a um projecto que
consubstancia muito do que tem sido dito nos mais diversos quadrantes.

Como nota de particular interesse para os portugueses, Cédric Melado é um
franco-português -
commissaire-priseur  - que fez uma notável carreira na Tajan,
tornando-se agora director desta nova casa leiloeira. Daí não ser de espantar que o
3º leilão que vão realizar tenha por título "Sur les traces de Vasco de Gama".
Clique na foto para ficar a saber mais sobre este tão interessante projecto...
Em Portugal também têm surgido novas leiloeiras, tanto em Lisboa como no Porto,
sendo que algumas encerraram as suas portas. Ao falarmos numa nova leiloeira em
Paris, que aporta uma séride de novidades para um sector tão tradicionalista, não
podemos deixar em claro o surgimento de uma nova casa de leilões em Lisboa,
situada na Rua Conde Redondo, em que se destacam 6 grandes montras, algo
inédito nas restantes e que vai ao enconto do que foi feito em Paris, Também no
interior há novidades, principalmente numa sala de exposições para objectos de
pequenas dimensões, que é única no panorama português, mostrando que ainda há
espaço para novos projectos, desde que tragam (boas) novidades e conquistem
novos públicos, sendo a visibilidade um requesito fundamental para que isso possa
acontecer.